segunda-feira, 20 de julho de 2015

O tecido do criador

Todos temos desejos, sonhos, pedidos, anseios. E isto faz parte de nossa constituição, é verdade. Faz mal deixar de ter esperança e se acabrunhar diante das dificuldades. Sim, é preciso pedir. Sim, a esperança é inerente ao nosso coração.

Mas se são tantas pessoas neste mundo, e se todas sonham, pedem, desejam, querem, o que fazer então com os inevitáveis conflitos? E qual a situação daquilo que não passa de mero capricho nosso, desejo de vingança, carência ou inveja? Afinal, algum desejo irá prevalecer e alguém perderá ou deixará de ganhar ou desistirá.

São tantos sonhos humanos e na verdade um só espaço, o coração. São tantas brigas e confusões e a na realidade uma só derrota, do coração. Nossa compreensão é bastante limitada nesse sentido. Como manter a lucidez diante de tamanha contradição?

O ponto de encontro é revelado quando Jesus confirma a vontade de Deus assim na terra como no céu. As veredas do coração se tornam claras diante dessa compreensão. A conciliação está na vontade de Deus, porque participamos de Cristo.

Os passos são nossos. Perto, dentro, mas além de um coração. É vida, é verde, é presente, é permanente. A glória do amor! O tecido do criador!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Grande coração: Veredas

Sertão, meu coração, veredas, iluminadas quando percebo, todo canto de uma só criação.